IDEAL VERDE

Qual é a marca que você deixa no planeta?


Deixe o seu comentário

Como armazenar os Alimentos

blog-potes-alimentos1-234x300

Armazenar adequadamente os alimentos vai muito além da segurança e da saúde, isso também ajuda a evitar o desperdício de alimentos pela putrefação, contaminação e ajuda a preservar os nutrientes por mais tempo.

Evitando o desperdício, além de pouparmos dinheiro, diminuímos a quantidade de lixo que jogamos fora, e assim, diminuímos a quantidade de resíduos no ambiente.
Os alimentos devem ser guardados separados uns dos outros e em temperatura e umidade de acordo com seu tipo.

Carnes em geral:
O melhor é congelá-la em porções individuais ou porções que já sabe que irá usar em alguma receita específica, para assim não haver desperdício,  pois uma vez descongelada a carne, não se pode congelá-la novamente. Quanto a temperatura, peixes devem ficar a no mínimo 2°C e, quando cozidos, devem ficar a essa temperatura por até 24h. As carnes de boi e aves devem ficar congeladas em no mínimo 4°C e quando cozidas, por no máximo 3 dias.

Feijão:
O feijão cru, como outros grãos, podem ficar armazenados em temperatura ambiente. Já cozido, deve ser armazenado sob refrigeração a no mínimo 4°C por no máximo 3 dias em recipientes de preferência de vidro.

Ovos:
Devem ser armazenados sob refrigeração de 4°C a 8°C e podem ser higienizados antes de sua utilização e não necessariamente no momento em que está armazenando.

Verduras, frutas e legumes:
Os vegetais folhosos devem ser armazenados sob refrigeração de 10°C por no máximo 3 dias. Frutas e legumes inteiros podem ser armazenados em temperatura ambiente e não têm a necessidade de serem embrulhados em papéis ou sacos plásticos. Se estiverem cortados, o ideal é que sejam refrigerados a 10°C e em recipientes de vidro. Frutas cortadas como o mamão, devem ter as sementes retiradas e armazenados em recipiente de vidro e consumidos o mais rapidamente possível, não ultrapassando um ou dois dias.

Sobras de almoço/janta:
O ideal é ser posto sob refrigeração assim que a refeição termina, pois diminui o risco de contaminação. Se guardar na panela, sempre mantê-la fechada.

Uso de potes de plástico/filme plástico/alumínio para armazenar alimentos:
Recomenda-se que não seja utilizado potes de plástico para guardar os alimentos na geladeira pois quando estão quentes ou congelados, o contato dos alimentos no material estimula a liberação de toxinas como o bisfenol A, que é utilizado para a fabricação destes utensílios bem como outras garrafas plásticas, copos para bebês, mamadeiras e outros produtos. Há países como Canadá, Dinamarca e Costa Rica, que essa substância é proibida. No Brasil, foi proibida apenas no final de 2011, ou seja, ainda possuímos muitos produtos com essa substância. Estudos suspeitam a relação dessa substância com muitas doenças, entre elas o câncer, problemas neurológicos, vários problemas na gravidez inclusive o aborto, e vários outros problemas!
Por isso, muita atenção além de não armazenar em recipientes plásticos, também não se pode esquentar a comida no microondas em recipientes plásticos, mesmo que seja por poucos segundos, e não se pode colocar água quente ou outro líquido em copos plásticos também.
Já o alumínio e o filme plástico para embalar alimentos, também não são recomendados, porque da mesma forma, as substâncias contidas neles podem migrar para o alimento. O ideal é embalar em papel manteiga.

A perda de nutrientes é relativa, mas quando de cozinha o alimento, vitaminas hidrossolúveis se perdem, por isso, é interessante cozinhar os legumes no vapor e evitar a cocção excessiva. Já o congelamento mantem mais os nutrientes dos alimentos, mas ainda há dúvidas entre os pesquisadores, de quanto ou quais nutrientes se perdem.

Para descongelar alimentos, o certo é realizar sobre uma refrigeração menor (do freezer para a geladeira) ou direto para a panela dependendo da ocasião. Devemos parar com a tradição da vó de deixar a carne descongelando na pia de um dia para o outro, pois isso pode acarretar um bela intoxicação alimentar!

A intoxicação alimentar pode ter sintomas desde horas após a refeição até anos depois, dependendo da bactéria ou microrganismo envolvido!! Entre eles estão: náusea, vômito, dor abdominal, febre, diarreia e cansaço. Os sintomas variam de pessoa pra pessoa e podem ser brandos ou até levar a morte! As causas da intoxicação estão na falta de higienização correta dos alimentos, armazenamento incorreto e até o uso de pesticidas e agrotóxicos. Por isso é bom  sempre que possível, optar por alimentos orgânicos.

É muito importante fazer a higienização correta dos alimentos, existem vários produtos que auxiliam na limpeza de verduras e frutas por exemplo. Siga sempre as recomendações do rótulo!

Vídeo:

Aprenda a fazer o armazenamento de alimentos reaproveitando garrafas pet

Só corrigindo uns termos do vídeo, antibactericida e antifungicida, favoreceriam o crescimentos destes organismos!! Os termos corretos são bactericida ou antibacteriano e fungicida! Não cometam essas gafes por aí!! E levantaram a dúvida de como saber a validade já que está armazenando na garrafa pet e não na embalagem original. Poxa, escreva com uma caneta a validade!! Mas apesar disso, o vídeo é bem interessante pois dá ideia de como reaproveitar as garrafas pet, armazenar bem os alimentos e ainda como fazer a higienização correta!

armazenamento-alimentos

Boa tarde a todos e bom armazenamento de alimentos!


Deixe o seu comentário

Alimentos orgânicos x convencionais

A procura por alimentos orgânicos é crescente ano após ano. O que leva uma pessoa a preferir tais alimentos? Seriam eles mais saudáveis? Melhores para o meio ambiente? Para o produtor?

A utilização de substâncias tóxicas para controlar pragas na lavoura data de muito tempo atrás. Cerca de 3.000 anos a.C., manuscritos chineses já indicavam o uso enxofre e do arsênico para controlar as pragas. Porém, foi na Segunda Guerra Mundial que os agrotóxicos industriais foram amplamente utilizados.

Há especialistas que afirmam a utilização destes agrotóxicos não ser maléfica à saúde desde que usados de forma correta e comedida. Contudo, o Brasil foi incluído em um relatório da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) como um país em que há exagero no uso de agrotóxicos. Análises realizadas pelo Instituto Biológico de São Paulo mostram que os alimentos recordistas em resíduos deste produto são o morango e o tomate. Além disso, verificou-se a aplicação do mesmo em culturas para as quais o pesticida não foi autorizado.

Vegetais produzidos com agrotóxicos possuem um nível mais elevado de nitrato, o nitrato em excesso no nosso organismo é cancerígeno. As culturas orgânicas possuem um teor baixo de nitrato. As culturas hidropônicas, por serem cultivadas com produtos químicos para suplementar os nutrientes do solo, também possuem uma quantidade de nitratos elevada.

Recentemente, um estudo publicado pela Food Standards Agency (FSA) da Inglaterra sobre uma revisão de pesquisas de alimentos convencionais comparados a alimentos orgânicos e afirmou que não há benefícios significativos para a saúde no consumo de orgânicos.

Esta pesquisa se concentrou apenas no valor nutricional. Esse é um assunto que sempre está em discussão, porém, alguns aspectos levantados pela Soil Association é que a revisão ignorou mais da metade dos artigos disponíveis, inclusive uma revisão feita pela União Européia, apresentada em 2009.

Apesar de tudo, tendo ou não mais ou quantidade similar de nutrientes, os alimentos orgânicos envolvem mais do que a questão saúde, envolve também questões socioambientais. O mundo já sofre pelo aquecimento global, desmatamento, poluição, a agricultura orgânica é uma forma de minimizar esses problemas.

O uso de agrotóxicos é muito prejudicial à saúde dos produtores, pois seus efeitos causam problemas neurológicos e reprodutivos. Os pesticidas também prejudicam os solos os tornando menos férteis, poluem a água e o ar. O consumo dos alimentos com agrotóxicos também pode causar alergia nas pessoas.

Os alimentos orgânicos são cultivados de maneira diversificada, como uma policultura, que minimiza a chance de ser atingida por pragas, o controle biológico é uma forma natural, em que se utiliza plantas, insetos e etc. como competidores ou predadores das pragas.

Apesar de os alimentos orgânicos serem mais caros que os convencionais, isso é algo que está mudando, pois a procura por esse produto aumenta a cada ano. Ou seja, além de ser mais equilibrado nutricionalmente, e de não poluírem o meio ambiente e respeitar as condições de saúde e segurança dos produtores, esses alimentos possuem um sabor muito melhor!

Não precisa de estudos para isso, eu mesmo comprovo quando compro frutas no supermercado e frutas da feira..

Sabendo de tudo isso, quem ainda vai optar por ingerir alimentos que sabemos que contêm agrotóxicos quando podemos ingerir um alimento de forma mais natural?

Um livro muito interessante que aborda o consumo de alimentos industrializados é o Em defesa da comida, um manifesto, de Michael Pollan, que eu li e recomendo!

Mas não se deixem enganar! Há selos que garantem a credibilidade de um produto orgânico que seguem normas para serem produzidos.

Instrução Normativa N. 007 de 17 de maio de 1999 – Regulamenta produção orgânica animal e vegetal

Para melhor visualização e mais fácil compreensão, há uma tabela simplificada neste link.

Alguns selos para reconhecimento de produtos orgânicos

Uma boa tarde e boa alimentação a todos!!

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.