Abelhas: A sua importância em nossas vidas

Se as abelhas desaparecerem da face da Terra, a humanidade seguirá o mesmo destino em um período de 4 anos.

Quem disse esta frase foi nada menos do que Albert Einstein.

Recentemente um estudo publicado na revista Nature foi assunto de uma reportagem na globo.com, que me levou a escrever este post.

Pesticidas agrícolas matam abelhas e prejudicam polinização, diz estudo (Globo.com)

As abelhas são insetos magníficos e misteriosos e muito mais importantes do que a maioria das pessoas pensa.

Para podermos ter nosso alimento todo dia em nossa mesa, é necessário lembrar que ele foi produzido por uma planta, ou seja, ele é um fruto. Este fruto veio de uma planta que nasceu e se desenvolveu de uma semente. Esta semente foi produzida por sua planta-mãe que precisou ser fecundada, e esta fecundação veio de uma polinização.

Há diversos animais que realizam este serviço na natureza, e as abelhas, estão no topo da lista.

Síndromes de Polinização %
Melitofilia (abelhas) 73%
Cantatofilia (besouros) 5%
Miofilia (moscas) 19%
Psicofilia (borboletas) 4%
Falenofilia (mariposas) 4%
Esfíngofilia (esfingídeos) 5%
Ornitofilia (pássaros) 4%
Quiropterofilia (morcegos) 6,5%

Observando esta tabela, podemos ver o quanto as abelhas são importantes na produção dos nossos alimentos e no equilíbrio do ecossistema. O pólen é a principal fonte de proteínas e vitaminas das abelhas, que garante a sobrevivência e perpetuação da espécie. Sem a polinização, a variabilidade genética das plantas se tornaria inviável.

Isto é importante tanto para o ecossistema quanto para a agricultura. Quando a produção agrícola é reduzida, ou há geração de frutos deformados, significa uma polinização insuficiente e não falta de uso de agro-químicos. A polinização insuficiente nos ecossistemas são mais sutis de se observar do que em sistemas agrícolas, mas sua conseqüência pode ser muito severa, como a extinção de espécies vegetais, ou um declínio acentuado do número de animais que se alimentam de suas sementes e frutos.

Os principais estudos se concentram nas culturas de melão, café, maracujá, laranja, soja, algodão, caju e maçã, tanto para exportação como para demanda interna. Essas culturas movimentam mais de 9 milhões de dólares no Brasil, mostrando a imprescindível função dos polinizadores.

É incrível ver como a natureza opera, foram milhares de anos para as flores e as abelhas de adaptarem a esse sistema. Há flores que só permitem que uma espécie de abelha venha polinizá-la, por isso é tão importante a sua conservação.

As abelhas, além de pólen, podem coletar óleos florais, perfumes florais (lipídeos voláteis), e resinas.

Abelha coletando resina de uma árvore

O ser humano utiliza o mel, que tem várias propriedades terapêuticas, o pólen, a cera, própolis e até o veneno das abelhas, mas sem dúvida, a polinização é a de maior valor.

Porém esta vem sendo prejudicada devido a progressiva destruição e fragmentação de habitats naturais, uso recorrente a agroquímicos tóxicos, a extensas regiões de monocultura intensificada, e dispersão incontrolada de espécies invasivas.

Além do mais, há a Síndrome do Colapso às Colônias, que gera milhares de mortes de abelhas nas colônias e estão preocupando muito os cientistas. Elas são mais observadas na América do Norte e Europa, e nos Estados Unidos, 60% das colônias já desapareceram em 24 estados. Há muitas pesquisas para se descobrir a causa, entre elas está alguma mutação genética, parasitas entre outros.

Ou seja, além de haver os perigos naturais como as doenças entre as abelhas, o ser humano ainda lhe dá mais preocupações.

Para proteger as abelhas e conseqüentemente, a vida em todo o planeta, é necessário utilizar-se de práticas de agricultura mais sustentáveis, como o controle do uso de pesticidas, análise do fluxo gênico das culturas transgênicas e de proposição de protocolos de biossegurança; práticas agrícolas amigáveis com a conservação dos polinizadores como a preparação da terra a fim de manter ninhos de abelhas sociáveis e solitárias que ocorrem no solo; manejo da paisagem agrícola, mantendo-se bordas de vegetação nativa; diminuição do uso de herbicidas, pois plantas ruderais conservam os polinizadores sendo fonte de alimentação ao longo do ano. Plantas ruderais são as que se desenvolvem em ambientes fortemente perturbados.

Outra prática sustentável na agricultura é o controle biológico, em que plantas e organismos são utilizados para controlar pragas de forma natural, sem o uso de pesticidas e agrotóxicos.

É nossa responsabilidade cuidar do meio em que vivemos, por isso temos sempre que nos informar e optar por alternativas menos prejudiciais, como por exemplo a alimentação orgânica, procurar sempre produtores éticos e responsáveis, comprar mel que venha de uma produção de empresas idôneas.

A proteção das abelhas está em nossas mãos. 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s